favicon.png

    Conteúdos falsos no YouTube é uma das principais fontes de fake news compartilhadas no WhatsApp

    Entre os principais conteúdos compartilhados em grupos sobre política no WhatsApp estão vídeos com notícias falsas (as famosas fake news, também transmitidas no meio audiovisual)


    Um levantamento recente do portal G1 em parceria com a Diretoria de Análise de Política Pública da Fundação Getúlio Vargas (FGV-Dapp) descobriu que, entre Agosto e Outubro de 2019, o YouTube foi o site mais popular dentre 409 grupos de WhatsApp analisados: 142 mil dos 410 mil links mais compartilhados vieram da plataforma de vídeos.


    Também foi analisado que, dentre os 100 links  mais disseminados do YouTube, estão 78 vídeos dos quais 20% contêm alguma informação falsa ou errada. A maioria trata do incêndio na  Amazônia, mas também há conteúdos com pautas inconstitucionais, como fechamento do STF, do Congresso ou até mesmo a intervenção militar. Somando, este número representa no WhatsApp 2,5 mil postagens de Fake News, e no YouTube, 5 milhões de visualizações.


    Parte desses vídeos com mentiras pertencem a 3 canais do YouTube que contam com serviço de assinatura premium. 


    Após esta pesquisa, em resposta ao G1, o Whatsapp disse ter atualizado "campanha educacional chamada 'compartilhe alegria, não rumores” para lembrar as pessoas de não compartilhar informações falsas".


    FONTE


    Dica do Juliano Spyer, Head of Human Insights na alexandria.ai