favicon.png

FACEBOOK LANÇA FERRAMENTA QUE SUGERE EXAMES MÉDICOS | v-tracker

O Facebook está lançando uma nova ferramenta nos EUA que sugere exames e vacinas (como por exemplo mamografia, teste de colesterol ou vacina contra a gripe) com base na idade e no sexo de uma pessoa. 


Quando os usuários pesquisam "saúde preventiva" dentro do aplicativo do Facebook, agora são redirecionados para uma página que os servirá de aconselhamento preventivo de saúde, com foco em problemas cardíacos e no combate ao câncer. 


Para apresentar essas sugestões, o Facebook fez uma parceria com a American Heart Association, o American College of Cardiology, a American Cancer Society e os Centros de Controle e Prevenção de Doenças.


“A razão pela qual nos concentramos em doenças cardíacas, câncer e gripe é porque as doenças cardíacas e o câncer são as principais causas de morte nos Estados Unidos. E gripe? Estamos no meio da temporada de gripe.”

afirmou Freddy Abnousi, o chefe de assistência médica do Facebook.  





A interface é bastante simples e clean, e solicita apenas dois dados como base: idade e sexo.


Em uma demonstração, Abnousi inseriu suas próprias informações, o que levou a essa lista: um teste de colesterol, um teste de pressão arterial e uma vacina contra a gripe. 


A página descreve o que é cada teste, por que deve ser feito e com que frequência uma pessoa deve fazer isso. Por exemplo, um teste de colesterol deve ser realizado a cada quatro a seis anos para maiores de 20 anos. A interface também inclui respostas para perguntas comuns sobre o procedimento.


Além disso, o aplicativo permite que você defina um lembrete para marcar uma consulta no médico. Você também pode procurar um centro de saúde com financiamento federal, onde pode fazer o exame ou marcá-lo como algo que você já fez. Se você já fez o exame, o aplicativo fornecerá orientações sobre quando você deve fazer sua próxima consulta. Por fim, o aplicativo oferece a oportunidade de compartilhar essas informações na sua timeline.





A intenção da empresa de Mark Zuckerberg é influenciar bilhões de usuários a fazer escolhas de vida mais saudáveis, porém, considerando o histórico de manipulação incorreta dos dados dos usuários e, às vezes, uma atitude indiferente em relação às informações incorretas em seu site, as pessoas não estão muito seguras ao confiar no Facebook.


Uma pesquisa da NBC News / Wall Street Journal de Abril deste ano mostra que mais de 60% dos americanos não confiam no Facebook para lidar com suas informações pessoais. Grande parte dessa desconfiança se formou a partir do fracasso do Facebook em lidar adequadamente com 50 milhões de perfis de usuários, sendo usado pela empresa de consultoria política Cambridge Analytica durante a campanha presidencial de Donald Trump. Na época, o Facebook conversava com vários hospitais dos EUA para obter dados anônimos de pacientes como parte de um projeto de pesquisa, de acordo com a CNBC (Consumer News and Business Channel - um canal de TV americano focado em negócios). 


O relatório da emissora diz que o Facebook pretendia combinar dados de pacientes com dados de usuários para ver se poderia colaborar em questões de saúde pública. O empreendimento foi encerrado após as notícias da Cambridge Analytica.


FONTE